A maior ameaça que os Vingadores já enfrentaram! (contém SPOILERS!)

0
222

O filme mais aguardado do ano, Vingadores: Guerra Infinita, chegou aos cinemas brasileiros nessa quinta-feira (26/04) chutando as portas dos cinemas, enchendo-o de um público que durante 10 anos acompanhou os filmes dos heróis do universo Marvel. Esses fãs aguardaram todo esse tempo para a mega saga que seria a Guerra Infinita, aguardaram a chegada do vilão Thanos e a sua caça (nada misericordiosa) às suas preciosas Jóias do Infinito e mostrar todo o seu poder contra os super-heróis mais poderosos da Terra.

Nesse novo capítulo do MCU, os irmãos Anthony e Joe Russo nos entregam um crossover de proporções épicas e dramáticas. Desde sua primeira aparição, numa cena pós créditos do primeiro filme dos Vingadores, o titã louco Thanos já demonstrava ser uma grande ameaça (e uma grande dor de cabeça para qualquer herói que quisesse defender a Terra). Em Guerra Infinita, toda essa ameaça se torna real e ainda mais vilanesca. Thanos é tudo o que um vilão precisa para ter e ser realmente um vilão. Sua motivação é real e pode ser sentida por nós telespectadores; sua ambição para com as Jóias do Infinito é demonstrada por cada expressão e olhar que Josh Brolin faz através da captura facial. Mas o vilão vai muito mais além disso. Thanos também possui algo dentro dele que nos faz entender a sua motivação. Talvez seja a sua relação com a filha Gamora (Zoe Saldana). É isso que o faz chegar tão próximo de um ser provido de arrependimento e compaixão, e isso chega a ser bizarro em alguns momentos do filme, principalmente no momento de seu maior desafio: conseguir a lendária Joia da Alma, onde exige um doloroso sacrifício de sua parte. É claro que ele não voltaria atrás para desistir de tal ato, sacrificando, assim, sua filha. Provavelmente uma das cenas mais dramáticas do longa.

Então Thanos continuou com sua cega jornada em busca de poder, com uma grande ambição rodeando seu personagem. E nem mesmo os Vingadores foram páreos para impedir o vilão, que desceu a porrada em cada um dos integrantes da equipe e em muitos outros, como os próprios desajustados Guardiões da Galáxia, para conseguir as jóias. As consequências de cada batalha contra o titã pode deixar cada telespectador se revirando na poltrona do cinema. Nenhum dos heróis ficou a salvo na presença de Thanos, no entanto, isso não os impediu de ataca-lo com toda a sua força. Uma das melhores coisas nesse filme é justamente o trabalho em equipe de cada membro dos super-heróis espalhados pelo universo. De um lado, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Doutor Estranho, a filha do titã, Nebulosa, e os três membros dos Guardiões da Galáxia, Star Lord, Drax e Mantis enfrentam o titã louco com um ataque surpresa em seu planeta natal, Titã. Eles têm um plano para enfrentar e impedir Thanos. Essa cena do filme é, de longe, umas das mais divertidas e amedrontadoras, pois a vida de cada herói pode estar perdida diante da presença do vilão.

Enquanto isso, na Terra, o Capitão América acompanhado dos membros dos Vingadores Falcão, Viúva-Negra, Hulk e Feiticeira Escarlate, vão buscar ajuda em Wakanda para o Visão e destruir a Joia da Mente presa na testa do mesmo, pois eles sabem que Thanos e a sua ameaça é real. Lá eles encontram Bucky Barnes, o Soldado Invernal, com um novo braço de vibranium. Pantera Negra e seu povo oferecem ajuda e é exatamente ali, em Wakanda, que nós vemos a batalha mais épica do filme: o exército de alienígenas de Thanos, acompanhados da Ordem Negra do vilão, invadirem e lutarem contra o povo de Wakanda e contra os Vingadores. Uma batalha de proporções gigantescas.

No espaço, mais precisamente em Nidavellir, a terra dos anões na mitologia escandinava e um dos Nove Reinos, Thor — decido à buscar vingança por seu povo e seu irmão, Loki, mortos por Thanos logo no começo do filme —, Rocket Raccoon e Groot, estão recorrendo à ajuda de um antigo amigo de Thor, o anão Eitri (uma participação surpreendente do ator de Game of Thrones, Peter Dinklage), para forjar uma arma capaz de destruir Thanos.

Thor e os dois guardiões encontram os Vingadores que estão na Terra e assim a batalha em Wakanda ganha mais força, com direito à gritos dentro dos cinemas diante da aparição do Deus do Trovão. Agora eles aguardam por Thanos, o verdadeiro mal superior, em meio à batalha que se prossegue.

Uma das coisas mais deliciosas de se ver nesse filme é a interação dos personagens novos com os antigos. Talvez a melhor seja a do Homem de Ferro com o Doutor Estranho, onde ambos se mostram entendíveis da força e poderio de Thanos, o que lhes garantem um ar de preocupação que nós também podemos sentir assistindo ao longa. Vale pontuar uma breve, porém divertida, interação entre o personagem de Rocket com o Soldado Invernal, onde os dois estão atirando contra o exército de alienígenas e o guardião brinca ao fazer uma piada sobre o braço de Bucky, uma piada um tanto quanto antiga, mas que funciona todas a vezes.

O filme tem um dos finais mais dramáticos e misteriosos dos filmes da Marvel. Fãs e outros irão ficar frustrados com o final e com as possíveis mortes de vários, sim, vários personagens (e não são poucos). Tudo o que restará depois dos últimos minutos do longa, será a cena pós créditos (com mais mortes), onde descobrimos que a tão aguardada Capitã Marvel está sim ali e Nicky Fury a alerta através de um dispositivo que a Terra e os Vingadores precisam dela… mas só no próximo filme.

O que nos resta agora é aguardar o próximo capítulo dos Vingares e sua guerra contra o titã Thanos, e enquanto isso, nos saborearmos com Guerra Infinita nos cinemas. Sim, você mesmo que está aí parado sentado em seu sofá olhando para o teto e pensando o quanto a sua vida está um tédio, peque o seu dinheiro, vá até ao cinema mais próximo e assista ao filme, porque está do car*@%&!